Para ter segurança saiba a diferença entre ENGASGO e REFLEXO DE GAG:

Engasgo: o bebê tem dificuldade de respirar, a passagem de ar na garganta é parcialmente ou completamente fechada. Se a passagem de ar estiver completamente fechada, o bebê não vai conseguir nem tossir e vai precisar de ajuda pra deslocar o alimento preso, usando os métodos de primeiros socorros (manobra de Heimlich). Por isso, a importância do bebê já estar sentando sozinho, ter o controle do que come e os alimentos serem oferecidos da forma/corte corretos.

Reflexo de Gag: é um mecanismo de defesa do corpo, no qual o bebê parece estar com ânsia de vômito. É o jeito que o corpo lida com alimentos que não são mastigados, ele é devolvido para a boca ou expelido. Em um adulto, enfiar o dedo na garganta e ter a ânsia de vômito é justamente o reflexo de gag, mas nos bebês esse mecanismo de defesa fica no meio da língua, por isso o gag é mais frequente. Pode sim assustar, mas o ideal é observar e deixar o bebê lidar com o alimento.

MUITO IMPORTANTE:

O risco de engasgar existe quando o bebê ingere qualquer tipo de alimento, seja com sólidos, com papinhas ou até com leite. A maioria fica com muito medo porque é um bebê pequeno e alimentos em pedaços, então ficam preocupados com o bebê engolir o pedaço e se engasgar.

Pode acontecer sim, por isso é essencial tomar algumas medidas de segurança, como saber oferecer o alimento certo para a idade (mais à frente irei mostrar no guia prático), oferecer a forma e a textura corretas também. Importante o bebê já sentar sozinho e ele mesmo conseguir levar o alimento na boca. Quando o bebê leva o alimento SOZINHO na boca ele tem o controle total do que está acontecendo, seu corpo está preparado para o alimento e vai saber lidar com isso, diferente do bebê que é alimentado e só recebe as colheradas ou pedaços na boca.

O que acontece muito é o reflexo de gag, que é bem diferente de o bebê engasgar. O reflexo de gag é um mecanismo de defesa do nosso corpo, adultos têm reflexo de gag também. O que acontece é que no bebê esse mecanismo de defesa é mais sensível, ou seja, ele é ativado mais vezes do que no adulto, por isso temos a impressão de o bebê estar engasgado, mas, na verdade, não está. Se o bebê coloca algo maior do que deveria na boca, automaticamente o reflexo de gag irá agir, fazendo com que o bebê dê umas tremidinhas ou até demonstre ânsia de vômito, e o alimento seja expelido. Devemos ficar muito felizes com o reflexo de gag, porque significa que o mecanismo de defesa do bebê está agindo corretamente e evitando um engasgo.

Quando o bebê engasga, ele pára de respirar. É muito sério o engasgo, por isso é importante saber identificar engasgo de reflexo de gag. Além disso, é grande necessidade conhecer a MANOBRA DE HEIMLICH e nunca, mas nunca mesmo deixar o bebê sozinho com o alimento.

E para terminar, eu considero o método mais seguro do que o método por papinhas, pelo fato de o bebê seguir seu curso natural, ter controle do que está comendo e fazer apenas quando estiver pronto, o que não acontece quando é alimentado. Mas como já disse antes, conversar com um pediatra e nutricionista é essencial.

Fatores que aumentam a chance do bebê engasgar:

  • Colocar comida na boca do bebê, isso porque, quando o bebê se alimenta sozinho, ele está no controle da situação. A natureza é sábia, então se o bebê conseguir pegar o alimento e levar à boca, ele está pronto pra mastigar. Se não conseguir mastigar, vai colocar pra fora. Deixar o bebê no controle de sua alimentação reduz o risco de engasgo, mas geralmente pensa-se ao contrário.
  • O bebê não sentar sozinho é arriscado, pois ele ficando recostado ou inclinado para trás (lados) pode facilitar a comida a ir direto para o final da boca. Por isso, se o bebê ainda não consegue sentar sozinho, provavelmente ele não está pronto para mastigar a comida. Ele precisa se manter em equilíbrio para que possa usar as mãos para se alimentar.

Tem algum alimento perigoso para o BLW?

• Amendoim, nozes e outros tipos de oleaginosas (oferecer farelo ou moído);

• Pedaços de frutas duras como maçã ou vegetais crus como cenoura (cozinhar no vapor é uma ótima opção ou assar);

• Uva inteira, cereja, mirtilo, ovo de codorna (jamais oferecer inteiro);

• Pipocas;

• Frutas secas como uva passa, banana passa;

• E alimentos pegajosos que possam formar uma massa, grudar no céu da boca e/ou a criança engolir inteiro, como brigadeiro ou pão de forma.

Quais são as formas de oferecer os alimentos no BLW?

6-8 meses:

Alimentos cortados em forma de palito ou tiras: o bebê no começo não consegue abrir e fechar a mão voluntariamente. Ele pega o alimento com o punho fechado e come somente o que sobra do punho, então é importante que o alimento seja maior do que o punho fechado do bebê;

• O alimento precisa estar bem cozido para o bebê conseguir mastigar com a gengiva e amassar o alimento com a língua no céu da boca;

• O alimento precisa estar firme o suficiente para ele segurá-lo, se estiver cozido demais vai se partir na mão do bebê;

• Cozinhar e amassar a batata (pode ser batata doce, mandioquinha, aipim…), misturar com uma proteína (peixe, frango, carne moída) e folhas (espinafre, couve), e fazer em forma de bolinhos, levar ao forno pra assar e até criar a casquinha pro bebê segurar. É uma ótima opção para o começo do BLW!

• Bater ovo com verduras (couve, espinafre) e colocar em forminhas de cupcake de silicone e levar ao forno para assar. É uma ótima opção;

• Legumes variados sempre em forma de palito grosso;

• Brócolis cozido no vapor é sucesso no BLW.

• Com as frutas, por serem escorregadias, o ideal é manter uma parte da casca (limpar bem ou lavar a casca antes), assim o bebê consegue segurá-la;

• E o formato, sempre em palitos ou pedaços grandes.

+ 9 meses:

• Quando o bebê começa a fazer o movimento da pinça (pegar alimentos usando apenas o indicador e o polegar), ele está pronto para comer pedaços menores de alimento;

• Cozinhe da mesma forma que do começo e corte em quadradinhos (NUNCA ALIMENTOS REDONDOS), ou em pedaços menores;

• Tomate cereja e alimentos ovais como ovo de codorna e uva: é necessário cortar em forma longitudinal;        

• Quanto mais desenvolvido for o movimento de pinça, menor pode ser o alimento oferecido.

• Mesma coisa para as frutas que podem ser oferecida cortadinhas ou continuar oferecendo em pedaços maiores, porque a maioria é bem escorregadia;

12 meses ou mais:

Mesma comida da família.

Publicado por:Mundo BLW

Deixe um comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.